Cobogó – Elementos Vazados de arquitetura – Terra Tile

cobogó

Cobogós – Elementos Vazados de arquitetura – Terra Tile

Os elementos vazados conhecidos como Cobogó são uma das maiores contribuições brasileiras para a arquitetura. “Seu nome deriva das iniciais dos sobrenomes de três engenheiros que no início do século XX 1929 ou 1930 trabalhavam no emirado Árabe e conjuntamente o idealizaram: Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest August Boeckmann e Antônio de Góis.” Wikipédia. Os engenheiros projetaram os cobogós para serem produzidos em cimento, em obras nos Emirados Árabes, mas ele se consagrou e foi mais usado no Brasil em cerâmica.

Lucio Costa já havia usado no inicio dos anos 40 o muxarabi, como elemento de referência da arquitetura brasileira, mas em 1943 substitui o muxarabi por peças de cerâmica, no projeto do Parque Guinle, dando uma grande projeção à peça, usada de maneira semelhante em outro ícone da arquitetura brasileira, o edifício Pedregulho, de Affonso Eduardo Reidy.

Cobogós e muxarabis voltam a ser mais usados por serem peças muito uteis na arquitetura bioclimática.

cobogó

 

Ana Paula Castro

Este conceito de arquitetura bioclimática conseguido pelos elementos vazados levou a designer Ana Paula Castro a criar uma série de peças que valorizassem os jogos de luz e sombra. Inicialmente as peças foram criadas em concreto, mas logo em seguida Ana Paula inova com cobogós de madeira. Suas coleções criadas por Ana Paula Castro são hoje alguns dos cobogós mais bonitos produzidos no Brasil.

Solarium

Grupo industrial nacional que atua desde 1997, sempre com design diferenciado, investe em linhas assinadas por grandes profissionais, talentos nacionais do design, arquitetura e artes, desenvolvendo produtos diferenciados e exclusivos.

COBOGÓ VOTÚ – ARTHUR CASAS
COBOGÓ LENO – ZANINE DE ZANINE
COBOGÓ ARCO – RODRIGO OHTAKE
COBOGÓ ATOLL – RENATA RUBIN
COBOGÓ LUNA – DÉCIO DE LIMA BECK
COBOGÓ PLANO – ZANINE DE ZANINE
COBOGÓ V – ZANINE DE ZANINE
MORRIS – VIVIAN COSER

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *